A maneira mais eficaz de conter a transmissão do SARS-CoV-2 é o distanciamento social. Mas não tem jeito, alguns comércios são essenciais e precisam permanecer abertos mesmo em períodos de maior transmissibilidade. Além disso, as cidades e estados estudam constantemente os números de casos para programar as reaberturas dos espaços comerciais que não são considerados essenciais.

Mas como os trabalhadores do comércio e os clientes de seus estabelecimentos devem se proteger e proteger as outras pessoas da COVID-19?

  • Seguir recomendações das autoridades locais. Além de ser uma obrigação legal, é importante seguir a recomendação atual das cidades e dos estados pois elas derivam da situação epidemiológica do local. 
  • Higienizar frequentemente as mãos. Nossas mãos atuam na transmissão do SARS-CoV-2 de duas maneiras: na pessoa infectada, as mãos podem tocar as secreções contaminadas (como a coriza, aquele líquido que escorre do nariz) e depois transmitir o vírus para todas as superfícies tocadas. Já na pessoa que está saudável, a mão pode atuar como ponte entre uma superfície contaminada e as mucosas dos olhos, do nariz e da boca. Por isso é importante sempre lavar regularmente as mãos com água e sabão ou usar álcool em gel. Comerciantes devem disponibilizar álcool em gel em local visível e em quantidade suficiente para estimular a higiene de mãos no local.
  • Uso de máscaras. As máscaras evitam que os vírus provenientes das pessoas infectadas se espalhem no ambiente. Também ajudam a reduzir a chance de os vírus atingirem as mucosas de pessoas saudáveis.
  • Distanciamento físico. Os estabelecimentos comerciais devem fazer as adaptações necessárias para evitar aglomerações em seu interior. Isso pode ser feito, por exemplo, através da limitação do número total de clientes no local e de marcações no chão para lembrar as pessoas do distanciamento.
  • Pessoas doentes não devem frequentar locais de comércio. Não importa se funcionários ou clientes: aqueles que estiverem com algum sintoma respiratório, mesmo que leve, ou com febre, devem sair de casa apenas se necessário procurar um serviço de saúde. Alguns estabelecimentos comerciais estão usando termômetros infravermelhos (aqueles que não precisam de contato) para medir a temperatura de quem entra no local, o que evita a presença de pessoas com febre.

O SARS-CoV-2 veio pra ficar. Mesmo quando tivermos a queda da incidência (número de casos novos) da COVID-19, é provável que o vírus continue em circulação por algum tempo, principalmente enquanto não temos uma vacina eficaz disponível para imunizar a população. Por isso essas medidas são tão necessárias durante a fase de reabertura do comércio. 

Texto produzido pela nossa parceira infectoligista Dra. Vanessa Strelow.